Feeds:
Posts
Comentários

1 - Escreva o tipo de sequência narrativa que predomina nos textos abaixo:

a)

CIDADEZINHA QUALQUER

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar… as janelas olham.

Eta vida besta, meu Deus.

Carlos Drummond de Andrade

b)

Tarsila do Amaral pintou o Abaporu em 1928 para fazer uma surpresa de aniversário ao marido, o escritor Oswald de Andrade. Só que ela não imagina a polêmica que essa obra provocaria entre os artista da época e nem que sua obra provocaria grandes mudanças na arte brasileira de nosso século.

 

 

 

c)

O maior jardim do mundo

O Parque Nacional da Serra do Cipó, com seus 33.800 hectares, já tem seu lugar no livro dos recordes da natureza: abriga o maior número de plantas por metro quadrado do mundo.A maioria das espécies floresce de janeiro a agosto, explodindo numa profusão de cores e aromas. Considerado um dos conjuntos naturais mais exuberantes do planeta, a reserva ambiental é cortada pelo rio Cipó e seus afluentes. O relevo acidentado recolhe as aguas e forma com elas numerosas corredeiras, quedas, poções e remansos, ideais para o banho. Ao redor do parque, na Área de Proteção Ambiental, também existem várias cachoeiras e paredões apropriados para o rapel.

 

 

 

d)

Altos e baixos

Um homem apaixonado pelo céu andava o tempo todo de rosto para cima, a contemplar as mutáveis configurações das nuvens e o brilho distante das estrelas.

Nesse embevecimento, não viu uma trave contra a qual topou violentamente com a testa. Um amigo zombou da sua distração, dizendo que quem só quer ver as estrelas acaba vendo as estrelas que não quer.

Espírito previdente, esse amigo vivia de olhos postos no chão, atento a cada acidente do caminho. Por isso, não pode ter sequer um vislumbre da maravilhosa fulguração do meteoro que um dia lhe esmagou a cabeça.

José Paulo Paes

2 – A notícia é o relato de um fato. Nela predomina, portanto, a sequência narrativa. Entretanto, o autor, dependendo de suas intenções, pode utilizar também de outras sequências discursivas.

Na notícia abaixo, os parágrafos foram numerados. Leia o texto e identifique a sequência predominante nos parágrafos 1, 2, 4 e 5.

Prédio vira armadilha

1 – Revestida por mais de 4.000 espelhos, a sede da Procuradoria Geral da República reflete as nuvens e o azul do céu de Brasília, mas esconde uma armadilha mortal para os pássaros em vôo.

2 – Apesar da suntuosidade projetada por Oscar Niemeyer, as aves não conseguem enxergar os dois blocos cilíndricos de 30 metros de altura e continuam voando como se não existisse obstáculo à frente.

3 – “É como uma pessoa distraída que bate de cara numa parede de vidro”, compara o biólogo Carlos Correia, técnico da câmara temática da Procuradoria especializada em meio ambiente. “A diferença é que a colisão dos pássaros costuma ser fatal.”

4 – Quem primeiro percebeu a armadilha arquitetônica foram os jardineiros, que já nos dias seguintes à inauguração do prédio, em agosto de 2002, encontraram no gramado os primeiros pássaros mortos. As maiores vítimas são os pombos e os beija-flores.

5 – Como as mortes continuaram -quatro aves chegaram a ser recolhidas num único dia-, a Procuradoria contratou a UnB (Universidade de Brasília) em meados do ano passado para estudar o problema. O trabalho ainda está na fase inicial, que consiste em saber quantas aves já morreram, quais espécies são mais vulneráveis e sob que condições (período do dia, época do ano e situação atmosférica) ocorrem mais colisões. A pesquisa deve ser concluída em julho deste ano.

3 – Leia a tira a seguir e observe que o cãozinho Snoopy, em sua fala, usa comparações para descrever “a garota dos seus sonhos”

E você? Já tentou imaginar a pessoa dos seus sonhos? Produza um pequeno texto descritivo escrevendo como essa pessoa seria.

Modos de citação do discurso

1 – Passe as frases do discurso indireto para o discurso direto (Ao fazer isso, leve em conta as adequações: uso do travessão e de verbos de dizer (dizer, falar, perguntar, afirmar, responder, etc)

a) Pergunta se pode receber a sua comida em dinheiro.

b) A aeromoça diz que vai lhe trazer um calmante.

c) O passageiro ao lado explica que o avião ainda está parado.

2 – Passe as frases do discurso direto para o discurso indireto. ( Faça as adequações observando os tempos verbais, os pronomes e os acréscimos necessários).

a) Ele me perguntou:

__ A que devo a honra dessa visita?

b) Ela me disse:

__ Sou solteira.

c) Perguntei-lhe:

__ Você me ama?

 

Adjetivos pátrios de estados brasileiros:

Acre – acriano ou acreano

Alagoas – alagoano ou alagoense

Amapá – amapaense

Amazonas – amazonense

Bahia – baiano ou baiense

Ceará – cearense

Distrito Federal – brasiliense

Espírito Santo – espírito-santense ou capixaba

Goiás – goiano

Maranhão – maranhense ou maranhão

Mato Grosso – mato-grossense

Mato Grosso do Sul – mato-grossense-do-sul ou sul-mato-grossense

Minas Gerais – mineiro ou geralista

Pará – paraense, paroara ou parauara

Paraíba – paraibano

Paraná – paranaense, paranista ou tingui

Pernambuco – pernambucano

Piauí – piauiense ou piauizeiro

Rio de Janeiro – fluminense

Rio Grande do Norte – rio-grandense-do-norte, norte-rio-grandense ou potiguar

Rio Grande do Sul – rio-grandense-do-sul, sul-rio-grandense ou gaúcho

Rondônia – rondoniense ou rondoniano

Roraima – roraimense

Santa Catarina – catarinense, santa-catarinense, catarineta ou barriga-verde

São Paulo – paulista ou bandeirante

Sergipe – sergipano ou sergipense

Tocantins – tocantinense

Adjetivos pátrios de capitais brasileiras:

Aracaju (Sergipe) – aracajuano ou aracajuense

Belém (Pará) – belenense

Belo Horizonte (Minas Gerais) – belo-horizontino

Boa Vista (Roraima) – boa-vistense

Brasília (Distrito Federal) – brasiliense ou candango

Campo Grande (Mato Grosso do Sul) – campo-grandense

Cuiabá (Mato Grosso) – cuiabano

Curitiba (Paraná) – curitibano

Florianópolis (Santa Catarina) – florianopolitano

Fortaleza (Ceará) – fortalezense

Goiânia (Goiás) – goianiense

João Pessoa (Paraíba) – pessoense

Macapá (Amapá) – macapaense

Maceió (Alagoas) – maceioense

Manaus (Amazonas) – manauense, manauara ou baré

Natal (Rio Grande do Norte) – natalense ou papa-jerimum

Palmas (Tocantins) – palmense

Porto Alegre (Rio Grande do Sul) – porto-alegrense

Porto Velho (Rondônia) – porto-velhense

Recife (Pernambuco) – recifense

Rio Branco (Acre) – rio-branquense

Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) – carioca

Salvador (Bahia) – soteropolitano ou salvadorense

São Luís (Maranhão) – são-luisense ou ludovicense

São Paulo (São Paulo) – paulistano

Teresina (Piauí) – teresinense

Vitória (Espírito Santo) – vitoriense

Locuções Adjetivas

Locução (do latim locutione) – elocução, maneira de falar, expressão, dicção, linguagem.  Denomina-se locução à reunião de algumas palavras com valor de apenas uma. 
Locução adjetiva é, portanto, o agrupamento de duas ou mais palavras equivalentes a um único adjetivo. 

Seguem algumas locuções: 


de abdômen – abdominal
abelha – apícola
abutre – vulturino
açúcar – sacarino
águia – aquilino
alma – anímico
aluno – discente
anjo – angelical
ano – anual
arcebispo – arquiepiscopal
aranha – aracnídeo
asno – asinino

audição – ótico, auditivo

baço – esplênico
bispo – episcopal
boca – bucal, oral
bode – hircino
boi – bovino
bronze – brônzeo, êneo

cabeça – cefálico
cabelo – capilar
cabra – caprino
campo – campestre, bucólico ou rural
cão – canino
carneiro – arietino
Carlos Magno – carolíngio
cavalo – cavalar, equino, equídeo ou hípico
chumbo – plúmbeo
chuva – pluvial
cidade – citadino, urbano
cinza – cinéreo
coelho – cunicular
cobra – viperino, ofídico
cobre – cúprico
coração – cardíaco, cordial
crânio – craniano
criança – pueril, infantil

dedo – digital
diamante – diamantino, adamantino
dinheiro – pecuniário

elefante – elefantino
enxofre – sulfúrico
esmeralda – esmeraldino
esposos – esponsal
estômago – estomacal, gástrico
estrela – estelar

fábrica – fabril
face – facial
falcão – falconídeo
farinha – farináceo
fera – ferino
ferro – férreo
fígado – figadal, hepático
filho – filial
fogo – ígneo
frente – frontal

gado – pecuário
gafanhoto – acrídeo
garganta – gutural
gato – felino
gelo – glacial
gesso – típseo
guerra – bélico

homem – viril, humano

idade – etário
ilha – insular
irmão – fraternal
intestino – celíaco, entérico
inverno – hibernal, invernal
irmão – fraternal, fraterno

junho – junino

lado – lateral
lago – lacustre
laringe – laríngeo
leão – leonino
lebre – leporino
leite – lácteo, láctico
lobo – lupino
lua – lunar, selênico

macaco – simiesco, símio, macacal
madeira – lígneo
mãe – maternal, materno
manhã – matutino, matinal
mar – marítimo
marfim – ebúrneo, ebóreo
mármore – marmóreo
memória – mnemônico
mestre – magistral
moeda – monetário, numismático
monge – monacal, monástico
morte – mortífero, mortal, letal

nádegas – glúteo
nariz – nasal
neve – níveo, nival
noite – noturno
norte – setentrional, boreal
nuca – occipital
núcleo – nucleico

olho – ocular, óptico, oftálmico
orelha – auricular
osso – ósseo
ouro – áureo
outono – outonal
ouvido – ótico
ovelha – ovino

paixão – passional
pai – paternal, paterno
paixão – passional
pâncreas – pancreático
pântano – palustre
pato – anserino
pedra – pétreo
peixe – písceo ou ictíaco
pele – epidérmico, cutâneo
pescoço – cervical
pombo – colombino
porco – suíno, porcino
prata – argênteo ou argentino
predador – predatório
professor – docente
prosa – prosaico
proteína – protéico
pulmão – pulmonar
pus – purulento

quadris – ciático

raposa – vulpino
rio – fluvial
rato – murino
rim – renal
rio – fluvial
rocha – rupestre

selo – filatélico
serpente – viperino, ofídico
selva – silvestre
sintaxe – sintático
sonho – onírico
sul – meridional, austral

tarde – vesperal, vespertino
terra – telúrico, terrestre ou terreno
terremotos – sísmico
tecido – têxtil
tórax – torácico
touro – taurino
trigo – tritício

umbigo – umbilical
urso – ursino

vaca – vacum
veia – venoso
velho – senil
vento – eóleo, eólico
verão – estival
víbora – viperino
vidro – vítreo ou hialino
virgem – virginal
virilha – inguinal
visão – óptico ou ótico
vontade – volitivo
voz – vocal

Avaliação parcial

Governar
Os garotos da rua resolveram brincar de governo, escolheram o Presidente e pediram-lhe que governasse para o bem de todos.
___ Pois não – aceitou Martim. ___ Daqui por diante vocês farão meus exercícios escolares e eu assino. Clóvis e mais dois de vocês formarão a minha segurança. Januário será meu Ministro da Fazenda e pagará o meu lanche.
___ Com que dinheiro? – atalhou Januário.
___ Cada um de vocês contribuirá com um real por dia para a caixinha do Governo.
___ E o que nós lucramos com isso? – perguntaram todos.
___ Lucram a certeza de que tem um bom Presidente. Eu separo as brigas, distribuo tarefas, trato de igual para igual com os professores. Vocês obedecem, democraticamente.
___ Assim não vale. O presidente deve ser nosso servidor, ou pelo menos saber que todos somos iguais a ele. Queremos vantagens.
___ Eu sou o Presidente e não posso ser igual a vocês, que são presididos. Se exigerem coisas de mim, serão multados e perderão o direito de participar de minha comitiva de festas. Pensam que ser Presidente é moleza?
Já estou sentindo como esse cargo é cheio de espinhos.
Foi deposto, e dissolvida a República.

Carlos Drummond de Andrade

Vocabulário:
Comitiva: Grupo que acompanha uma autoridade
Deposto: Tirado do cargo
Dissolvida: Desfeita
Presididos: Governados, Comandados
Interpretação do texto:
1 – Quais são os personagens da narração? E quais se destacam Mais? (0,4)

2 _ Quem é o protagonista da história, isso é, o personagem principal? (0,4)

3 – O que eles resolveram fazer? (0,4)

4 – Por que o Presidente foi deposto? (0,4)
___________________________________________________________________________________________________________________________________________
5 – Assinale com X o que pode caracterizar o presidente do texto: (0,4)
a) Mandão ( X) b) Justo ( ) c) Autoritário (  ) d) Egoísta (   ) e) Democrático (   )
6 – Escreva Sim ou Não de acordo com o texto: (1,0)
a) As autoridades devem se aproveitar de seus cargos para tirar vantagem em benefícios próprios?

b) As autoridades devem agir para o bem de todos, sem se aproveitar do cargo para benefícios próprios?

Gramática
1 – Complete com os Pronomes Demonstrativos adequados: Esse, Isso, Esta, Aquela,Aquilo, Este. (1,0)
a) ……. caderno que tens nas mãos é meu?
b) ……….. que falei ontem é verdade.
c) Xuxa e Pelé falaram do Brasil no exterior; ……com o seu futebol; …….. com sua arte.
d) …… fechadura esta com defeitos!
e)…….. não tem sentido!

2 – Complete com os Pronomes Interrogativos adequados: Quem, Que, Quantos, Quanto, Qual, Quais. (1,0)
a) Há…….. anos você estuda aqui?            d) ……. custa o caderno?
b) ……. tipo de comida você gosta?                 e) …… é o resultado do jogo?
c)Mas ……. estragou a porta?                          f) ……. são as notícias?

3 – Classifique Sujeito e Predicado: (1,0)
a) Fabiano respondeu ao telefone.
Sujeito:         

c) Meu pai e minha mãe duvidaram de sua honestidade.
Predicado:                                                                    Sujeito:
b) Os alunos precisam de notas.                                                                                      Predicado:
Sujeito:                                                                                                   d) Saiu correndo, o cachorrinho.
Predicado                                                                             Sujeito:
Predicado:
e) Professores e alunos correram no pátio.
Sujeito:

Predicado:

Olá para todos!

Sejam bem vindos a página de atividades do blog da Bruxinha.